Salmos

Provérbios







sexta-feira, 28 de maio de 2010

Como é grande o amor que o Pai nos concedeu



“O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente: Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.” (I Pedro 2:23,24). Quando olhamos para a cruz do Calvário e vemos os nossos pecados ali pregados no madeiro, ficamos mudos diante de tão grande amor pela humanidade. O Seu silêncio perante todas as dores que estava sofrendo era por amor a nós! Era preciso esse sacrifício para que o “véu do templo fosse rasgado”, para que as Escrituras se cumprissem. A maior oferta de Amor! E quantas vezes falamos desse Amor a tantas pessoas e elas rejeitam? Preferem imagens de barro que não falam e se quebram, e não querem o Deus vivo, o Único e Verdadeiro Deus? Vemos tanta maldade e destruição, ódio e matança, os frutos da carne sendo alastrados de forma absurda. Como deve olhar Jesus para tudo isso? Quando pensamos em quantas vezes somos egoístas e mesquinhos, nós que nos dizemos cristãos, que muitas vezes deixamos a nossa velha natureza predominar, não nos sentiremos envergonhados diante do nosso Salvador? Que possamos refletir nisto e falar mais do amor de Jesus ao nosso semelhante a partir de hoje.



 Que a Paz de Cristo, que excede todo entendimento, esteja contigo!




Nenhum comentário:

Postar um comentário