Salmos

Provérbios







sábado, 7 de maio de 2011



Mãe segundo o coração de Deus

E-mailImprimirPDF
"... conceberás e darás a luz um filho" ( Lc. 1:31). Quantas mulheres  na  Bíblia  receberam  essa  promessa?  Sara,  Ana, Isabel,  Maria...  Algumas dessas mulheres eram estéreis, outras bastante idosas e uma era virgem! Seus filhos nasceriam contrariando  toda a  lógica dos acontecimentos naturais! Mas, mais que um milagre, nasceriam para que se cumprissem os planos de Deus. Cada uma conceberia com propósitos bem definidos.  
A Bíblia diz que Deus “...faz que a estéril  viva em família e seja alegre mãe de filhos”(Sl.113.9). Para Abraão disse: “De  ti farei uma grande nação.”(Gn. 12.2). O profeta  Isaías  falou a  respeito de João o qual  nasceria  de  Izabel, mulher  estéril e  também  idosa  (Lc.1.5-7);    e  ainda  profetizou  dizendo:  “Eis  que  a virgem conceberá  e dará  à luz um filho...” (Is.7.14).
Podemos  compreender  que  Deus  escolhera  tais  mulheres  não  apenas  para  realizar  seus propósitos e manifestar através delas o seu poder, mas também demonstrar seu incomparável amor e bondade fazendo-as viver uma das maiores experiências que é ser mãe. Há muito que aprender sobre ser mãe segundo o coração de Deus.   
O capítulo 13 do  livro de Juízes apresenta outra mãe que não está entre as citadas acima. Uma mulher notável, perspicaz. Com ela podemos aprender a ser tementes ao Senhor e como proceder no convívio diário do  lar.
A Bíblia não dá o seu nome. Era a mulher de Manoá. Sendo ela uma mulher estéril,  recebeu a notícia de que conceberia e teria um filho; promessa que veio acompanhada de recomendações sobre algumas restrições, as quais ela prontamente acatou e obedeceu, pois confiou no Anjo do Senhor que  lhe aparecera. Tal como as outras crianças prometidas, seu filho, o tão conhecido Sansão, viria para cumprir uma missão: “... ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus” (Jz. 13.5).Assumiu a responsabilidade de criar um filho nazireu,  separado  e  consagrado  ao  Senhor  desde  o  ventre  até  o  fim de  sua  vida. 
O  voto  de  nazireado significava  um  período  específico  de  devoção  a  Deus  (em  alguns  casos  até  a  morte). Implicava  numa  autodisciplina pessoal em que  três áreas eram  controladas: a dieta  (na podia  beber  vinho ou  comer comida imunda); a aparência (não podia cortar o cabelo); e associações (não podia se misturar com outros povos, nem tocar em cadáveres, mesmo sendo de familiares).
Acatou a ordem do Anjo do Senhor de que ela mesma não bebesse vinho ou comesse alguma coisa imunda, pois seu filho seria consagrado desde o ventre.  Não guardou para si aquele acontecimento; ao contrário, correu e compartilhou a experiência com seu marido. Um exemplo bíblico de casal companheiro, que buscou  juntos orientação clara de Deus de como deveriam proceder quando seu  filho nascesse.
Quando Manoá e sua esposa perceberam que aquele homem era o Anjo do Senhor (uma prefigura do Cristo que haveria de vir), prostraram-se com o rosto em terra.  
Aquela mãe  foi submissa à palavra do Anjo do Senhor, pois, Sansão nasceu, e a Bíblia diz que Deus o abençoou e o Espírito do Senhor passou a agir por meio dele.  
Cada um de nossos filhos é dádiva do Senhor (Sl. 127.3) e é necessário que eles recebam de nós, mães, em parceria com nossos esposos, essa consciência e vivam por ela. Há muito que podemos fazer para que  nossos  filhos  sejam  separados e  consagrados  ao  Senhor,  cheios  do  Espírito  de Deus,  sendo  bênçãos onde quer que forem. Podemos orar por eles sempre.
Podemos ser exemplo de mães consagradas. Podemos ser  companheiras  dedicadas  de  nossos  maridos,  andando juntos  no  temor  do  Senhor,  concordando  na disciplina bíblica de nossos filhos para apresentá-los de volta  a Deus como oferta.    
Angela Maria dos Reis Campelo
Ministra de Música da Primeira Igreja Batista em Cidade Operária


Nenhum comentário:

Postar um comentário